Marca própria no varejo = parceria com a indústria

Expertise

Há algum tempo, quando íamos auditar indústrias de alimentos e não alimentos, de pequeno e médio porte, para produzirem as nossas marcas de varejo, muitas delas tinham boas instalações, pessoas responsáveis, eram organizadas, porém não havia muitos controles dos processos envolvidos.

Ouvia-se muitas vezes as frases: “Nunca me pediram para fazer isto” ou “Eu não sabia que precisava ser dessa forma”.

Então, nosso papel era sempre informar como fazer, cobrar melhorias, auxiliar na implantação das documentações necessárias para que os produtos fossem bons e seguros. Além de outras funções, era isso que fazíamos no papel de desenvolvedores técnicos de produtos dentro do varejo.

Com o passar do tempo, por exigência de um consumidor mais atento, de novas legislações, fiscalizações e também de nossas incansáveis cobranças (como técnicos e como clientes), as indústrias melhoraram. Cresceram, passaram a produzir melhores produtos, controlados desde o início, no recebimento das matérias primas e material das embalagens, passando por todo o processo produtivo até a entrega final dos produtos nos centros de distribuição e lojas.

Tudo isso, para podermos comprar nas prateleiras dos supermercados os melhores produtos.

Marca própria de sucesso tem que ser assim, produzida de forma segura e em indústrias com rígidos controles, para que tenhamos sempre produtos de boa qualidade para nossa família.

Por Simone Morandi

Formada em Engenharia de Alimentos e pós-graduada em Gestão de Qualidade em Alimentos. Especialista em Marcas Próprias, líder de áreas comerciais, controle de qualidade, auditoria de fábrica e desenvolvimento de produtos em grandes varejistas