Confira como gigantes do varejo e redes regionais alimentares estão investindo nas marcas próprias

Mercado

Até outubro de 2021, a rede varejista Carrefour apresentou uma média de 19,3% na participação de MP nas vendas de produtos alimentícios

 

 

O ano de 2021 e o aumento na adesão de MP

Apesar da participação das marcas próprias no Brasil ser a mesma há anos, de 5%, novos varejistas e consumidores finais vêm aderindo cada vez mais a esse tipo de estratégia e produto.

Um grande exemplo é o grupo UniBrasil. No comando de várias redes regionais, como Rede Super (RS), Central de Compras BR (ES, BA), dentre outras, conta com 461 lojas localizadas em 163 cidades de 11 estados brasileiros. 

saco de lixo Felitá 15l saco de lixo Felitá 30L

 

O ano de 2021 foi um ano marcante para o grupo, com o nascimento da marca Felitá. O conglomerado de redes lança, em parceria com a Amicci, uma linha completa de produtos de qualidade a preços acessíveis, desde sacos de lixos a goma para tapioca. “Durante uma visita às lojas dos grupos IFA e Rd Ahorramas em Madrid, na Espanha, que hoje detém a maior fatia do mercado da região, pudemos perceber o forte investimento no programa de marcas próprias dos grupos e a qualidade dos produtos. Foi então que decidimos investir no setor com as redes do grupo UniBrasil. A parceria com a Amicci trouxe uma qualidade incontestável em nossos produtos, pois queríamos atribuir à nossa MP a certeza de compra e agradabilidade, tanto na experiência do consumo quanto de branding.” comenta Marcos Manéa, gestor do grupo UniBrasil.

 

pão de queijo Felitá suco de uva Felitá

 

A ascendente adesão dos clientes finais por produtos de marcas próprias é vista principalmente em redes varejistas com um longo histórico desta estratégia, como é o caso do grupo Carrefour. No ano de 2017, o share médio anual dos produtos de MP da rede foi de 8,1%. Em 2018, 10,1% e assim por diante, até bater a marca dos 19,3% no mês de outubro de 2021.

Pesquisas realizadas pelo nosso parceiro Carrefour neste ano, indicam que o ticket médio do cliente que consome produtos de MP pode ser multiplicado em até 2,5x. O cliente que não consome tais produtos tende a estabilizar seu gasto.

Ao serem questionados sobre os preços, dos 7.000 entrevistados pelo Carrefour, 77% consideraram-se satisfeitos ou totalmente satisfeitos com os preços competitivos dos produtos de marca própria. Na categoria de qualidade dos produtos, o resultado foi de 92,6% de satisfação.

 

 

Números e previsões do varejo brasileiro para os próximos 4 anos

Em um cenário econômico um tanto quanto complicado, 14 milhões de brasileiros desempregados têm dificuldade para comprar alimentos no final de 2020, foi o que revelou uma pesquisa realizada pela NielsenIQ, em maio de 2021. A rede objetiva entregar produtos alimentícios de qualidade e com preços competitivos, para que todos tenham acesso a alimentos de qualidade. 

Como fazer isso? Aumentar o número de SKU’s oferecidos é um meio de expandir seu leque de oportunidades e proporcionar uma melhor experiência ao seu cliente, o que fideliza ainda mais essa relação. Além disso, criar áreas dedicadas ao desenvolvimento de MP em seu negócio também acelera o processo e faz com que sua marca esteja mais próxima dos fornecedores e do cliente final, após a gestão assertiva do projeto. 

O grupo Carrefour aposta no investimento das suas Marcas Próprias no futuro pois, nos últimos 3 anos, o grupo lançou 1500 SKU’s, reformulou mais de 100 produtos e lançou mais 12 Marcas Próprias novas. 

Como resultado de um projeto implementado com excelência durante vários anos, o Carrefour estima que até o final do ano de 2025, 23,3% de suas vendas no Brasil serão representadas por produtos de Marcas Próprias de diversas categorias, não só a alimentar.

A Amicci vem observando o progresso das Marcas Próprias e tem orgulho de contribuir com esse avanço dentro de grandes varejistas, como Carrefour e Unibrasil.  Do planejamento à execução, garantimos a implantação estratégica de marcas próprias, gerando melhores vendas, rentabilidade e fidelização dos consumidores.

Por Confira como gigantes do varejo e redes regionais alimentares estão investindo nas marcas próprias

Até outubro de 2021, a rede varejista Carrefour apresentou uma média de 19,3% na participação de MP nas vendas de produtos alimentícios     O ano de 2021 e o aumento na adesão de MP Apesar da participação das marcas próprias no Brasil ser a mesma há anos, de 5%, novos varejistas e consumidores finais vêm aderindo cada vez mais a esse tipo de estratégia e produto. Um grande exemplo é o grupo UniBrasil. No comando de várias redes regionais, como Rede Super (RS), Central de Compras BR (ES, BA), dentre outras, conta com 461 lojas localizadas em 163 cidades de 11 estados brasileiros.  saco de lixo Felitá 15l saco de lixo Felitá 30L   O ano de 2021 foi um ano marcante para o grupo, com o nascimento da marca Felitá. O conglomerado de redes lança, em parceria com a Amicci, uma linha completa de produtos de qualidade a preços acessíveis, desde sacos de lixos a goma para tapioca. “Durante uma visita às lojas dos grupos IFA e Rd Ahorramas em Madrid, na Espanha, que hoje detém a maior fatia do mercado da região, pudemos perceber o forte investimento no programa de marcas próprias dos grupos e a qualidade dos produtos. Foi então que decidimos investir no setor com as redes do grupo UniBrasil. A parceria com a Amicci trouxe uma qualidade incontestável em nossos produtos, pois queríamos atribuir à nossa MP a certeza de compra e agradabilidade, tanto na experiência do consumo quanto de branding.” comenta Marcos Manéa, gestor do grupo UniBrasil.   pão de queijo Felitá suco de uva Felitá   A ascendente adesão dos clientes finais por produtos de marcas próprias é vista principalmente em redes varejistas com um longo histórico desta estratégia, como é o caso do grupo Carrefour. No ano de 2017, o share médio anual dos produtos de MP da rede foi de 8,1%. Em 2018, 10,1% e assim por diante, até bater a marca dos 19,3% no mês de outubro de 2021. Pesquisas realizadas pelo nosso parceiro Carrefour neste ano, indicam que o ticket médio do cliente que consome produtos de MP pode ser multiplicado em até 2,5x. O cliente que não consome tais produtos tende a estabilizar seu gasto. Ao serem questionados sobre os preços, dos 7.000 entrevistados pelo Carrefour, 77% consideraram-se satisfeitos ou totalmente satisfeitos com os preços competitivos dos produtos de marca própria. Na categoria de qualidade dos produtos, o resultado foi de 92,6% de satisfação.     Números e previsões do varejo brasileiro para os próximos 4 anos Em um cenário econômico um tanto quanto complicado, 14 milhões de brasileiros desempregados têm dificuldade para comprar alimentos no final de 2020, foi o que revelou uma pesquisa realizada pela NielsenIQ, em maio de 2021. A rede objetiva entregar produtos alimentícios de qualidade e com preços competitivos, para que todos tenham acesso a alimentos de qualidade.  Como fazer isso? Aumentar o número de SKU’s oferecidos é um meio de expandir seu leque de oportunidades e proporcionar uma melhor experiência ao seu cliente, o que fideliza ainda mais essa relação. Além disso, criar áreas dedicadas ao desenvolvimento de MP em seu negócio também acelera o processo e faz com que sua marca esteja mais próxima dos fornecedores e do cliente final, após a gestão assertiva do projeto.  O grupo Carrefour aposta no investimento das suas Marcas Próprias no futuro pois, nos últimos 3 anos, o grupo lançou 1500 SKU’s, reformulou mais de 100 produtos e lançou mais 12 Marcas Próprias novas.  Como resultado de um projeto implementado com excelência durante vários anos, o Carrefour estima que até o final do ano de 2025, 23,3% de suas vendas no Brasil serão representadas por produtos de Marcas Próprias de diversas categorias, não só a alimentar. A Amicci vem observando o progresso das Marcas Próprias e tem orgulho de contribuir com esse avanço dentro de grandes varejistas, como Carrefour e Unibrasil.  Do planejamento à execução, garantimos a implantação estratégica de marcas próprias, gerando melhores vendas, rentabilidade e fidelização dos consumidores.